Arquivo

Archive for abril \03\UTC 2013

Graciliano Ramos

Hoje encontrei um artigo de Zenir Campos Reis (professor de Literatura Brasileira, USP) em que as cartas pessoais de Graciliano Ramos são analisadas. Muitas apresentam interessantes relações com a prática literária do autor. Nesse trecho, Graciliano conta um pouco da sua busca pelo português brasileiro durante a escrita do romance S. Bernardo (1934):

“O S. Bernardo está pronto, mas foi escrito quase todo em Português, como você viu. Agora está sendo traduzido para brasileiro, um brasileiro encrencado, muito diferente desse que aparece nos livros da gente da cidade, um brasileiro de matuto, com uma quantidade enorme de expressões inéditas, belezas que eu mesmo nem suspeitava que existissem. Além do que eu conhecia, andei a procurar muitas locuções que vou passando para o papel. O velho Sebastião, Otávio, Chico e José Leite me servem de dicionários. O resultado é que a coisa tem períodos absolutamente incompreensíveis para a gente letrada do asfalto e dos cafés. Sendo publicada, servirá muito para a formação, ou antes para a fixação, da língua nacional. Quem sabe se daqui a trezentos anos eu não serei um clássico? Os idiotas que estudarem gramática lerão S. Bernardo, cochilando, e procurarão nos monólogos de seu Paulo Honório exemplos de boa linguagem”.

Fonte: Reis, Zenir Campos. Sinal de menos. In: Teresa revista de Literatura Brasileira. Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas. Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas. Universidade de São Paulo – No.2 (2001) (São Paulo: Ed. 34, 2001, p.154-160).

Categorias:Uncategorized Tags: